sexta-feira, 30 de setembro de 2011

O Rato Ruivo e eu

Manhã ensolarada na Av. Paulista, ouvia eu Let It Be nos fones de ouvido enquanto corações sorridentes emanavam do meu peito.


Súbito, um adesivo de Dilma colado em um ponto de ônibus. Um adesivo velho, desgastado, da eleição passada. Lá estava ela, a rainha dos anacolutos.


Só Clarice Lispector, neste brilhante texto, me explica:






Se Lula é a anta de Diogo Mainardi, Dilma é meu rato ruivo.