quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Coisa rara

Um pouco de verdade saindo da boca de um petista:

http://www.youtube.com/watch?v=PE8vxMvBsyc
(Flávio Arns e a decepção tardia com o PT)


Adendo
E que conste este e-mail que enviei ao senador Arns em dezembro de 2007, por ocasião da votação da CPMF:

4 comentários:

Anita disse...

Daniiii,

vou linkar seu blog lá no IMIL, ok?

Tô sumida do Twitter, mas sigo te seguindo. Inté!

Paulo X disse...

Eu votei em Arns sucessivamente desde a primeira vez que ele se candidatou à Câmara, pelo PSDB. Baseado exclusivamente pelo seu reconhecido trabalho junto à APAE.

Quando ele se bandeou para o PT, fiquei muito desapontado, chegando inclusive a enviar-lhe um e-mail -- não respondido.

Sua saída do PT não vai fazer com que eu volte a votar nele. Espelho quebrado, etc...

Anônimo disse...

Gripe suína - Jornalista austríaca acusa OMS de genocídio

Jane Bürgermeister, jornalista austríaca, recentemente apresentou acusações criminais junto ao FBI contra a Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização das Nações Unidas (ONU), e vários altos funcionários governamentais e empresariais relativos bioterrorismo.

Jane criou um dossie, entregue ao FBI, que mostra as evidencias de que o virus da gripe suína foi criado em laboratório e usado para exterminar parte da populacao e forcar lei marcial.
"Evidencias de que um sindicato internacional de criminosos corporativos, que se anexaram com altos oficiais do governo dentro dos Estados Unidos, estao levando adiante um genocídio em massa contra as pessoas dos Estados Unidos usando um vírus pandemico artificialmente (geneticamente) modificado, e um programa de vacinacao para causar morte em massa, ferimentos e despovoar os EUA de forma a trasferir o controle dos EUA para a OMS, a ONU e suas forcas afiliadas de seguranca (Tropas da UN e OTAN)"


Uma das acusacoes é contra a Baxter, que enviou 12 kilos de vírus da Austria para vários países, como se fosse vacina. Jane cita também vários atos do governo e leis da ONU que dao poder ao governo, FEMA e a ONU para forcar vacinacao em massa, lei marcial e aprisionamento.

Jane foi despedida do seu emprego de correspondente européia para o site de energia renovável.
Fontes:

Dossie (em ingles)
Bidflu666 - Blog de Jane
Infowars - Jornalista é despedida

http://mathaba.net/news/?x=621102
http://www.youtube.com/watch?v=wHxHmHa9qvs
http://www.torontosun.com/news/canada/2009/02/27/8560781.html
http://www.examiner.com/x-6495-US-Intelligence-Examiner~y2009m7d10-CBS-60-Minutes-300-death-claims-from-1976-swine-flu-vaccine-only-one-death-from-flu

Fonte
Uma Nova Ordem Mundial

Anônimo disse...

Fornecedora da vacina utilizada no Brasil sendo processada na Franca

O governo brasileiro anunciou que irá vacinar 18 milhoes de pessoas até a metade de 2010, quando inicia o inverno no hemisfério sul.

O governo optou por adquirir 1 milhão de vacinas prontas para uso, que devem chegar até dezembro de 2009 e outros 18 milhões de doses a granel, que serão embaladas pelo instituto Butantan, em São Paulo.

O Ministério da Saúde estuda ainda a importação de mais 15 milhões de doses da vacina contra o vírus Influenza H1N1, caso a Organização Mundial da Saúde (OMS) autorize a redução no mundo da produção da vacina sazonal (contra a gripe comum).

O governo brasileiro vai importar as vacinas do laboratório Sanofi Pasteur, da França, que já fornece para o Brasil as vacinas para a gripe comum (Vaxigrip). Sanofi Pasteur é a subsidiária responsável pela produção de vacinas da multinacional Sanofi-Aventis, quarta maior em vendas de medicamentos. A Sanofi Pasteur é responsável pela metade da produção mundial de vacinas contra a gripe comum.

Sei que achar uma fornecedora de vacinas honesta é perto do impossível, mas vamos dar uma olhada na Sanofi Pasteur.
• Processo em vacina contra Hepatite B na Franca
Em 2008, a Sanofi Pasteur estava sendo investigada, juntamente com a Merck, com a qual tinham uma joint venture para a fabricação de vacinas. A investigação segue alegacoes de que as companhias falharam em fornecer informacoes dos efeitos colaterais de uma droga contra a hepatite B usada em uma campanha entre 1994 e 1998. Neste período quase 2/3 da população francesa e quase todos os bebes foram vacinados contra a hepatite B, mas a campanha foi suspensa depois de surgirem preocupacoes sobre possíveis efeitos secundários durante estes tratamentos. Cinco pessoas morreram depois da vacinação.

Nao tendo encontrado nenhuma fonte que desse o desfechamento do caso, eu contactei com o reporter que noticiou a investigação na reuters para tentar saber o que foi concluído pela investigação.

Continua...