sexta-feira, 19 de junho de 2009

Preciso de mais que 140 caracteres para explicar isso:

Olá Marcelo Tas

Eu discordo de você em vários pontos, e concordo em alguns outros. Mas convivo com os diferentes. Quase sempre quando discordo, silencio, porque respeito suas opiniões.

Quem inicia campanha de #UnfollowFriday com você (ou com qualquer outra pessoa) porque discorda disso ou daquilo, demonstra que não entendeu nada do que é democracia.

Infelizmente, são as pessoas que justamente dizem falar em nome dela.

Não, não. Eu sigo @marcelotas. Mesmo que eu discorde de vez em quando (às vezes radicalmente). É preciso exercitar a democracia – e portanto tolerância–, mais do que cobrá-la.

Ponto.

24 comentários:

Tiago disse...

Sério, tem gente que dá unfollow só porque discorda de algo? O.o
Cara... eu pensei que o meu priminho de 1 ano que era uma criança.

Felipe disse...

Olá. Cheguei ao seu blog através da menção do @marcelotas. Gostei do que li. E gostei mais ainda do título do blog. É bom encontrar blogueiros coerentes só pra variar.

Congrats!

Ricardo disse...

Concordo plenamente com você, Daniela. Assino embaixo!

Srta. Encrenca disse...

Gostei do seu blog.
O Brasil me tira o sono quase todo dia!

Joviano disse...

Concordo 100%, parabéns pelo post! A pessoa pode até discordar de outra e querer deixar de seguí-la por causa disso, mas fazer campanha difamatória só porque a opinião da outra é diferente, é muita infantilidade.

Márcio Vinícius Pinheiro disse...

Concordo em parte com o que você disse. Discordo em dois pontos:
1- isso não tem muito a ver com democracia, isso tem mais a ver com convivência;
2- Respeitar opiniões discordantes das suas não deveria calá-la.

O pior é imaginar que essas pessoas que deixam de acompanhar outras simplesmente por discordar de vez em quando são as mesmas que seguem um monte de bots, spammers, e gente que não diz nada de que discordar ou com que concordar apenas para "angariar" mais "seguidores" no Twitter. Além de não entenderem nada de convivência e democracia, fazem um péssimo uso da ferramenta.

Daniela • Brasileira Insone disse...

Obrigada, people, pela visita e pelos comentários.
Insônia compartilhada é menos pesada do que insônia solitária. ;)

Glaucia disse...

Também concordo com os comentários e com você Daniela.
Não conheço as reivindicações dos grevistas da Usp para poder dar uma opinião coerente em relação ao assunto.. mas devo dizer o que realmente me irrita.. são esses estudantes, que estão lá para aprender a ter senso crítico, tolerância e respeito, porque como profissionais eles deverão ter, partirem para a ignorância, para a agressão em vez de discutir a situação como realmente os problemas podem ser resolvidos.
Os que deram unfollow no Tas, para mim são aqueles que fariam a mesma coisa na situação da greve.. partiriam para a ignorância.. já que não têm argumentos!

Bruno Ferreira disse...

Meus parabéns, é bom ver que ainda existem pessoas sensatas de ambos os lados e de ambas as opiniões.

Lila disse...

Peraí, eu tenho direito de escolher quem eu quero seguir. Daqui a pouco vão dizer q bloquear pessoas em nosso próprio msn é tb cerceamento de liberdade de expressão.
Liberdade de escolha: escolher quem queremos ler, seguir, conversar, com quem queremos nos relacionar, é disso q se trata também.
E ninguém é obrigado a dar unfollow, só se concordar com isso.

Márcio Vinícius Pinheiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Márcio Vinícius Pinheiro disse...

Ninguém é obrigado a nada... mas tem gente que é persuadida muito facilmente...

Cada um na sua. A crítica está sobre quem faz campanha pelo unfollow, não sobre quem atende à campanha (cada um tem seus motivos para aderir a qualquer campanha, por mais boçal que seja e bem ou mal isso também tem que ser respeitado).

A minha opinião sobre campanhas no Twitter (retwittando do meu próprio twitter :P): "Um bando de maria-vai-com-as-outras opinando sobre o que não conhecem. Qual é a legitimidade disso??"

Trata-se de uma opinião tão preconceituosa quanto a atitude da maioria das pessoas que aderem a essas campanhas, mas no geral é bem coerente.

Livro é Tudo disse...

É isso aí gostei. As coisas tem que funcionar assim mesmo.

Parabéns!

Selma Boiron disse...

Cheguei aqui via Marcelo Tas e vim só pra te aplaudir. \o//o\\o/bjo, Selma.

Danielle disse...

#unfollow é uma forma de protesto contra uma pessoa que fala besteiras facistas para uma verdadeira multidão virtual que concordará com qualquer coisa que seu ídolo disser. O brasil realmente me tira o sono, direita e esquerda em proporções quase iguais.

Danielle disse...

Fascistas.

Márcio Vinícius Pinheiro disse...

unfollow é apenas uma forma de parar de ler as besteiras fascistas.

...e se o cara tem o hábito de falar besteiras fascistas, talvez ele não devesse ser ídolo de quem o acompanha no twitter (espera-se até que não seja ídolo de ninguém).

Se as besteiras são esporádicas ou raras, talvez seja radical demais parar de acompanhá-lo e fechar mais um canal (principalmente se for só para concordar com um monte de gente que nem ídolos são).

Daniela • Brasileira Insone disse...

É por isso que eu (quase!) não apago os comentários desta gente que fala estas barbaridades. Eles sempre comprovam o que eu digo. Principalmente quando nos chamam de fascistas.
Tem coisa mais fascista do que isso que eles fazem conosco?

Danielle disse...

A capacidade de interpretação de texto de algumas pessoas realmente me emociona.

Clara Carolina disse...

Tudo bem cada um ter sua opinião, mas não dá para deixar de pensar que quem é a favor de pm na universidade é também a favor de estupro na favela, prostituição infantil nas orlas de Salvador, bomba contra palestinos e israelenses, tiro e paulada contra sem terra, burca nos corpos de mulheres ou qualquer forma de violência a qualquer outra pessoa que também queira expressar sua opinião. Qualquer poder é vontade de poder. Formas de resistência estão aí e são várias.

Márcio Vinícius Pinheiro disse...

Faltou a Clara Carolina contextualizar os "crimes" citados... Eu posso, sim, ser a favor de um ou outro "crime" desses. (não vou nem entrar no mérito da generalização infundada)

Por exemplo, eu daria tiro e paulada em sem-terras caso eles estivessem armados com foices e pedras e correndo em minha direção. E olha que interessante: nesse caso, a lei estaria a meu favor.

É só um exemplo tosco, mas o pior é que acontece de vez em quando (e às vezes, armados não só com foices e pedras).

Não vejo porque no vasto terreno da USP, não pode haver PM para conter os excessos. É uma área pública de acesso livre a todos (até pra mim, que não moro em São Paulo e estudei na UFRJ), a polícia pode (e deve) atuar como em qualquer outra área da cidade. Por que não? A presença da polícia não necessariamente representa violência (embora talvez uma resposta à violência).

Mas já acho que esse não é o escopo da discussão (embora tenha sido o estopim). Talvez se as partes mantiverem sempre o diálogo, cheguem a uma conclusão e parece que essa é a mensagem do artigo.

P.S: Pelo menos, mantendo o diálogo posso tentar descobrir o contexto de cada exemplo dado e entender a acusação aparentemente tão descabida.

Eric disse...

Chamar um #unfollow é muito mais democrático do que apoiar um massacre de policiais militares contra estudantes no interior de um campus universitário.

Stella Dauer disse...

Como pode alguém falar que o Tas é a favor da violência depois de ver o vídeo que ele publicou?

Os grevistas estavam agredindo física e verbalmente os que estavam lá e não eram a favor da greve!

Pois é assim! Quem sobe ao poder, seja de qual lado for, faz a mesma coisa que criticava no outro. Assim é até mesmo o nosso governo...

Blog do Rasta disse...

Muito bem Daniela, gostei do seu ponto de vista no caso do vídeo da USP, do tratamento dos grevistas, com os que não defendem a greve.
Desde já passo a constantemente passar por aqui, pelo visto você é uma moça bem inteligente. Faço da suas palavras as minhas, comentei lá no blog dele e fiz o favor de também falar algumas coisas no tuiter, por falar nisto vou te seguir. Dá uma passa lá no meu blog depois www.venhosambar.blogspot.com
Forte abraço, de um colega baiano.
Alex - Salvador -Bahia