terça-feira, 20 de janeiro de 2009

20 de janeiro de 2009

Resolvi abrir um post histórico neste blog histórico para fazer um desabafo histórico.

Passei um dia histórico normal. Levantei da minha cama histórica e vesti uma roupa histórica, sem saber que era histórica, claro, e fui ao mercado historicamente. Fiz até uma comidinha histórica, vejam só! E foi almoçando minha refeição histórica que liguei a TV histórica e, pelo Jornal Nacional Histórico (será que esse é com H maiúsculo?), me dei conta da solene historicidade do meu dia. Tivesse eu me tocado antes, teria pelo menos vestido uma roupa histórica melhorzinha, né?

Pois logo no começo veio o jornalista histórico dizer que "a partir de agora os Estados Unidos têm o que nunca tiveram: um presidente que não é um branco, não é da elite" ( http://jornalnacional.globo.com/Telejornais/JN/0,,MUL964691-10406,00-EDICAO+HISTORICA+DO+JORNAL+NACIONAL+MOSTRA+A+POSSE+DO+PRESIDENTE+DOS+ESTADO.html )

Eu gostaria de perguntar, muito historicamente, ao jornalista histórico: a que "elite" ele está se referindo? Elite intelectual? Elite financeira? Elite política?

Às três Obama pertence. E, da forma como falou historicamente, o jornalista histórico parece tomar como sinônimos "elite" e "branco" (ou haveria um "e" entre "não é um branco" e "não é da elite"). Olhe, senhor jornalista histórico, eu, como afrodescentende, protesto! Protesto historicamente! Será que o senhor não percebe que suas palavras históricas revelam o preconceito histórico que atravessa sua mente (pré-)histórica?

Porque se Obama é elite intelectual, é elite financeira e é – e já era antes de hoje – elite política, só resta concluir que você historicamente não o considera elite apenas por ser… negro!

Que critério é esse que define elite pela cor da pele? Então negros não podem ser elite?

Estou historicamente cansada desta divisão malévola e preconceituosa das sociedades, entre elite e não-elite. Estou mesmo historicamente exausta do uso deturpado da palavra elite e de sua demonização.

Ao senhor jornalista histórico, dedico um post histórico deste blog: http://brasileirainsone.blogspot.com/2008/08/minoria-por-minoria.html

Agora, se me dão licença histórica, esta história termina aqui. Vou lavar a louça histórica que está na pia e depois pagar umas contas históricas e fazer algumas ligações igualmente históricas para minha histórica família.

5 comentários:

Dick disse...

hahahahahah!

Muito bom, Daniela!

Eu só sei que, de manhã, ouvi a Miriam Leitão na CBN, falando igual a um locutor de futebol, de tão abobada e deslumbrada que estava. Achei tão ridículo, que decidi nem ouvir mais rádio durante o resto da terça-feira. Aliás, também não liguei a televisão.

Na verdade, eu aproveitei a tarde para recuperar o sono perdido nas últimas semanas. Dormi pra caramba.
E sonhei que estava numa sala de aula com o Olavo e outros alunos recortando uma cartolina sobre a mesa.

Nem sei quem é esse tal Obama.

soqquadro disse...

Prezado Dick,
concordo contigo, e vou mais longe: o mundo inteiro não sabe quem é esse tal de Obama.
Mas o universo todo conheçe Reinaldo Azevedo, pois não?
Quanta boçalidade...

Anônimo de todo dia disse...

Fantástico este texto!

Claudino disse...

Pois é, Daniela!

Só nos resta agora, já que nada podemos contra esse mito travestido de história, fazer uma torcida histórica para esta "nova era" que se inicia não passe para a história como a era do "Buraco do Obama".

Vê se soca esse "soqquadro" do segundo comentário na lixeira da história.

Parabéns pelo texto que, a julgar pela sua foto, é a sua cara.

Dick disse...

Um sujeito como esse tal "soqquadro", que não tem coragem nem de dizer o próprio nome, mas é tolo o suficiente para defender Obama e menosprezar Reinaldo Azevedo, aparece do nada a se referir gratuitamente a mim, que não o conheço, e falando em "boçalidade"?

Ora, caro "soqquadro", você ao menos sabe o que significa "boçal"? Boçal significa rude, grosseiro, e também significa escravo recém-chegado da África. Nenhum desses casos aplica-se a mim. Ou seja: ou você é ignorante, ou você é racista, caro "soqquadro".

Minha sugestão é que você cuide da sua vida, seu sujeito malcriado.