sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Demorou!

Em 2006 eu mandei um e-mail para o Programa do Jô, sugerindo que ele entrevistasse Reinaldo Azevedo. Depois, inescapável comentar, o programa entrou numa fase, para usar um eufemismo, "desinteressante", em que o apresentador deu claras mostras de pensamentos anacrônicos, incoerentes e em alguns pontos retrógrados, senão eventualmente covardes, e eu já tinha até desistido da idéia de que um dia o Reinaldo pudesse por os pés lá. Mas eis que ontem esta minha percepção foi desmentida. Já não era sem tempo!

http://video.globo.com/Videos/Player/Entretenimento/0,,GIM907422-7822-JORNALISTA+REINALDO+AZEVEDO+LANCA+LIVRO,00.html

Considerando-se o entrevistador e o modelo (humorístico) do programa, é verdade, a entrevista foi excelente. Como eu não esperava nada, exceto um oi-tchau-passar bem, a mim, pelo menos, a entrevista surpreendeu positivamente. É claro que lamento que o Reinaldo tenha ficado por último, e também o fato de ele não ter malhado este (des)governo (o que teria atraído muito mais a atenção da platéia, como atraiu na entrevista do Diogo Mainardi), mas de todos os vídeos que eu vi do Reinaldo, neste foi o que ele melhor se saiu: estava tranqüilo, paciente, tolerante (imaginem o esforço dele diante da enxurrada de estultices do entrevistado anterior, Tom Zé – Bento VI?! ) e muito bem humorado.

A entrevista foi boa, apesar de todas as minhas restrições ao apresentador. E quanto mais o nome do Reinaldo for divulgado, melhor.

Mas parece que teve uma galerinha que ficou indignada com o fato do Reinaldo ter recebido só um quadro, depois de uma loooonga entrevista em dois quadros com o Tom Zé. Tem gente até dizendo que o Jô Soares não deixou o Reinaldo falar, que não mostrou a capa do livro suficientemente, que propositadamente ficou pinçando outros assuntos para que o Reinaldo não falasse mal do governo. Vi até quem tivesse prometido mandar e-mails indignados ao Programa do Jô e ao blog do Reinaldo, "detonando" o apresentador.

Olha, como ontem eu estava muito, digamos, nervosa, apreensiva mesmo na hora da entrevista (porque toda vez que o Reinaldo aparece na TV eu fico torcendo para que dê tudo certo, naquela angústia de quem sabe que o tempo será pouco para o muito a dizer, pois é como se eu mesma estivesse lá – o que de certa forma é verdade, através das muitas idéias que o Reinaldo nos faz o favor de defender), revi o vídeo agora. Sinceramente, esta turma está pegando no pé do Jô numa situação absolutamente descabida. Foi o Reinaldo quem divagou (porque quis, cumprindo o que ele entendeu ser mais adequado para o público) para assuntos de chapéus, cachorros, horários de trabalho etc. Quem chamou o assunto de novo para a política foi o Jô Soares, que, aliás, mostrou a capa do livro em close.

Ok, eu também tenho discordâncias com o Jô e quem o acompanha diariamente detecta as oscilações e incoerências do apresentador, o que debito à falta de uma visão de mundo mais ampla – daí que seria providencial se ele passasse a ler o Reinaldo, mesmo discordando dele em vários pontos. Mas nesta entrevista o Gordo foi educado, gentil, espirituoso e bom anfitrião. Até deixou o Reinaldo falar!

O programa na quarta-feira vai ao ar mais tarde por causa do futebol, e dois blocos com o Tom Zé, representante do avesso do que pensa a maioria dos leitores do Reinaldo, pode ter testado o limite da paciência de muita gente. De minha parte, eu até acho o Tom Zé engraçado e curti o primeiro bloco com ele – o segundo, a bem da verdade, passou um pouco da quantidade que eu tolero de bobagens, mas também… sem traumas!

Vamos deixar para reclamar do Jô quando for justo (como naquele caso em que fomos chamados de “golpistas”), e vamos tratar de, neste momento, ao contrário, elogiá-lo. Um pouco menos de caps lock cairia bem. Ademais, patrulha em blogs e sites é coisa “deles”, não nossa.

4 comentários:

Anônimo disse...

Passe lá no blog do Clausewitz e participe de uma enquete sobre o desempenho de Tarso Genro e Paulo Vanuchi... tem direito a atribuir nota e até eleger um substituto, caso você, como eu, esteja insatisfeito com o trabalho dos dois...

http://blogdoclausewitz.blogspot.com

FENIX disse...

Caminhamos a passos largos em direção ao abismo tenebroso e sem fundo, sem que nenhuma instituição ponha freio ou desacelere a locomotiva Brasil.

Enquanto a corrupção corre solta, com uma prisão aqui e outra acolá; sabem-se lá quantos casos ainda não foram detectados pelas policias, autoridades invertem seu papel de estabelecer a ordem e se manifestam publicamente contra as leis vigentes, como se quisessem fazer a justiça com as próprias mãos, movidos pela falta de bom senso, característica do ódio ideológico. Determinados à vingança a qualquer custo, colocam lenha numa fogueira a muito extinta e que sabe-se lá a quem vai queimar no final da história.

Enquanto o país cambaleia mal administrado, discute-se o indiscutível e juristas assim como juízes decretam a falência das leis, de suas interpretações e principalmente da credibilidade do sistema de leis, dos juízes e de todo o sistema judiciário, imprescindível na sobrevivência da democracia, desde que justo, eficiente e eficaz. A falta de bom senso ganha corpo dia a dia. É a casa-da-mãe-joana, cada um dizendo o que quer e insistindo que prevaleça sua opinião, não interessando os meios para tal. É o caos anunciado.

De há muito já se sabia que os atuais governantes, totalmente despreparados para as funções que exercem, estabeleceram enorme desorganização nos poderes da republica, de tal forma não haver mais nenhuma credibilidade em nenhum deles.

Quando não estão disputando algo, os três poderes, formam quadrilha para aprovar algum beneficio mutuo, proteger algum figurão vinculado aos governantes, e por aí vai.

Cabe às Forças Armadas, única instituição ainda com alguma credibilidade, uma reflexão profunda, e uma verificação se realmente é a decisão acertada, nada fazer, não interferir, não intervir.

Sem ser pessimista, não se pode vislumbrar um bom futuro com o atual estado de coisas. Parte da sociedade brasileira, já está se organizando por conta própria, infelizmente sob a forma do crime, amplamente favorecida pela impunidade reinante. É uma questão de tempo a anarquia generalizada.

A omissão fará com que sejamos vítimas de nós mesmos.

"LIBERTAS QUAE SERA TAMEN"

rpassosguitar disse...

Disse muito bem, Daniela. Alguns leitores do Reinaldo, certamente indignados pelas constantes vigarices dos petralhas e simpatizantes, se deixam levar pelas emoções e acabam por adotar posturas muito semelhantes às daqueles os quais dizem combater. Ser veemente não significa ser fanático ou obsessivo. Um direitista que usa de métodos esquerdistas não difere destes últimos.
Vale lembrar que o que Reinaldo Azevedo combate, segundo ele mesmo, não é apenas a ideologia petista/ esquerdista/ comunista etc, mas sobretudo os métodos dessa gente, usualmente rasteiros e vis. Portanto, sejamos firmes, sim, em nossas convicções, mas estejamos atentos aos meios empregados para afirmá-las. Em uma verdadeira democracia, o fim a qualquer preço jamais justificará o meio.
Um grande abraço e parabéns pelo blog.

Anônimo disse...

A menina não tem vergonha de ficar endeusando essa corja do Azevedo e Mainardi,lacaios do Civita, dois perfeitos imbecis? Além de querer subir pelas costas de ambos? E que mania(modismo de pseudo-intelectuais a serviço dos bandidos do PSDB) de falar mal do melhor governo que este país já teve depois de JK?! Cresça,menina!//Luis Inácio