domingo, 5 de outubro de 2008

Escolher um candidato

Durante o último mês, algumas pessoas me pediram sugestões para escolher um vereador – bem, é verdade, para as mais íntimas não dei a oportunidade de perguntar, e já tratei de "empurrar" o meu palpite…

Eu teria duas formas de responder para quem me perguntou sobre um bom candidato a vereador. A primeira é indicar em quem vou votar e porquê. No caso, vou votar no Omar Sabbag Filho (45080), por motivos que já expliquei em posts anteriores (aqui http://brasileirainsone.blogspot.com/2008/08/importncia-de-escolher-um-bom-vereador.html ).

Mas a pergunta fica: qual a melhor forma de escolher alguém que preste nesta profusão de gente, a maioria ridícula, querendo aparecer?

O TSE tem feito campanhas, corroboradas por uma porção de jornalistas, que repete o mesmo bordão: "analise as propostas do seu candidato".

Olhem, me perdoem a ousadia, mas eu acho isso uma inutilidade sem tamanho. Escolher políticos na base de "vou avaliar as propostas" é uma coisa completamente vazia. Isso transforma a campanha eleitoral em um desfile de "promessismos" e de idéias estapafúrdias, além de ser um caldo de cultura para o populismo, criando um "leilão do pobre", para ver quem dá mais pelo voto dele. Um lá dá "catraca liberada para todos", outro dá "bolsa-tudo", esse aqui dá "energia elétrica de graça e almoço a R$ 1,00". Quem dá mais? Quem dá mais?

E todo mundo sabe que ninguém vai cumprir coisa nenhuma. Quando muito, um ou outro vai distribuir alguns óculos e cadeiras-de-rodas.

Entendo que o certo a fazer é, antes de mais nada, ter e conhecer – já explico o que isso quer dizer – seu posicionamento ideológico, para depois encontrar a correspondente linha partidária (para estes dois itens o debate na internet é particularmente útil). Depois, dentro de um espectro ideológico-partidário coerente com seus pontos de vista, procurar um partido que não corrompa seus ideais em prol da busca pelo poder, ou seja, buscar um partido que não distorça seu ponto de vista em troca de cargos e orçamentos (o que geralmente acontece com partidos muito pequenos). Depois, no(s) partido(s) escolhido(s), encontrar os candidatos com alguma possibilidade de serem eleitos e que tenham experiência ou um mínimo de bagagem intelectual para ocupar um cargo público. Escolhido um dentre estes, finalmente, avaliar a probidade e a transparência de seu candidato (aí a internet pode ajudar também, não com debate, mas com a exposição de informações).

Eu digo "ter E conhecer" porque há muita gente que não tem posicionamento (nunca pensou no assunto), mas há também muita gente que já tem sim suas convicções sobre o quanto o estado deve interferir na economia e na cultura, mas não sabe que isso é um posicionamento político-ideológico e o que suas opiniões significam. Há alguns sites na internet que podem orientar nesta empeitada de, vamos chamar assim, "auto-conhecimento":

http://www.theadvocates.org/quiz.html
(muito bom, o mais simples e completo, mas em inglês)
http://www.moral-politics.com/xpolitics.aspx?menu=Home&action=Test&choice=Long
(mais detalhado, mas também em inglês)
http://www.ordemlivre.org/node/153
(em português, mas levemente tendencioso)
http://veja.abril.com.br/idade/testes/politicometro/politicometro.html
("Politicômetro" da Veja, bom, completo, em português e adaptado aos conceitos ideológicos contemporâneos e brasileiros)

Por último, arrisco fazer mais ou menos uma listagem ideológica dos partidos, considerando fundamentação, planos teóricos e ações práticas.

Partidos de esquerda:
PSTU - Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado
PCB - Partido Comunista Brasileiro
PSOL - Partido Socialismo e Liberdade (Heloísa Helena, Luciana Genro)
PC do B - Partido Comunista do Brasil (Aldo Rebelo)
PSB - Partido Socialista Brasileiro (Ciro Gomes)

Partidos de centro-esquerda:
PT - Partido dos Trabalhadores (Lula, Tarso Genro, José Dirceu, Dilma Rousseff)
PDT - Partido Democrata Trabalhista (Cristóvam Buarque, Jefferson Péres)
PV - Partido Verde (Gilberto Gil, Fernando Gabeira)
PPS - Partido Popular Socialista (Roberto Freire)
PSDB - Partido Social Democrata Brasileiro (FHC, Serra, Aécio, Alckmin)

Partidos de centro ou indefinidos:
PMDB - Partido da Movimento Democrático Brasileiro (José Sarney, Renan Calheiros, Pedro Simon, Requião, Rigotto)
PTB - Partido Trabalhista Brasileiro (Roberto Jefferson)
O PMDB possui a maior bancada na Câmara e, embora seja originalmente um partido de esquerda, está hoje indefinido, pois possui alas governista, neutra e oposicionista. Na verdade, é um partido que tende a estar aliado a quem está no poder e é de grande influência nacional, pois é muito forte nos estados. O PTB é o partido herdeiro de Getúlio Vargas, mas que foi perdendo seu idealismo. A rigor, o "centro" da política brasileira não é a confluência da direita com a esquerda, como deveria se esperar, mas é apenas composto de partidos que são utilizados para manobras políticas. Um se negocia porque é grande e tem valor no mercado político, e outro se negocia porque é pequeno e não tem espaço.

Partido de centro-direita:
DEM - Democratas, antigo PFL (ACM, Jorge Bornhausen, César Maia, Gilberto Kassab)

Partidos de direita:
PL - Partido Liberal (José Alencar)
PP - Partido Progressista (Maluf)
PRONA - Partido da Reedificação da Ordem Nacional (Enéas)

Ou, citando somente os partidos mais relevantes, da esquerda para a direita:
PT . PSB . PDT . PPS . PSDB . PMDB . DEM
Evidentemente, aceito críticas a esta tentativa de escalonamento, porque o assunto é subjetivo. Ademais, a "direita" no Brasil paraticamente inexiste, já que ela está hoje unida a partidos que são de esquerda ou de centro-esquerda, fazendo coligações monstrinhos que não podem gerar nenhum projeto de governo que tenha um pingo de coerência.

14 comentários:

Anônimo disse...

Aos menos, nós os curitibanos faremos uma pequena diferença de 80%, não é mesmo?


outra paranaense insone

J. Sepúlveda disse...

Parabéns pelo vexame imposto por Curitiba ao lulo-petismo!
Onde está mesmo a super popularidade do Lula? Mentira! Curitiba demonstrou.
Ah, e a música "Pode chorar, mas eu não voto no PT" é excelente. Um jingle para 2010.

Philippe disse...

Não concordo muito com esta disposição em apenas um eixo. Genérica demais. Mas mesmo assim útil, especialmente para saber de quem você não gosta.
Outra coisa é que sinto falta de um partido e candidatos genuinamente liberais. É uma pena.

Álvaro Junqueira disse...

Daniela,
Que honra merecer um comentário teu!
Mas eu não posso me gabar muito, não, pois, assim como você, não tive o privilégio de estar lá.
Minha filha gravou um vídeo da conferência do Reinaldo. Assim qe ela me enviar, vou disponibilizar para o Reinaldo para que todos os membros do clã possam vê-lo e ouvi-lo.
Abração

Álvaro Junqueira disse...

Oi Daniela,
Você não mandou email para resposta, então respondo por aqui.
O vídeo é bem mais bobinho do que eu imaginei (achei que ela tinha gravado toda a abertura feita pelo Reinaldo, com Dna. Laila e tudo), mas, não, é só um takezinho da minha filha, sogra e uma geral da platéia, uns 25 seg.
Se quiser ver, tá no meu blog:
http://junqueiradas.blogspot.com/
Sobre as medidas de roupa, vou perguntar, mas acho que ela nem sabia quem eram as meninas nem a patroa.
Qualquer coisa, volto aqui.
Abração

Álvaro Junqueira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Mas o PSDB é de centro-direita, como o DEM.

A social-democracia não tem haver com o conceito de "democrata" dos americanos, nem de "tudo pelo social".

A social-democracia é um regime político que pretende chegar ao socialismo sem revoluções.

Tanto é diferente que PT e PDT tem estatuto, e o PSDB tem programa de governo.

É bom separar as coisas, apesar de que, no Brasil, tudo tende ao centro, nada de radicalismos (vide PT).

Anônimo disse...

Seu blog é bastante sensato, vale a pena expressar minha opinião aqui.

Quem quer ganhar nessas eleições sou eu, de classe média com família para sustentar. Me importa se as ações dos políticos são benéficas, satisfatórias e duradouras.

Há uma estatística das maravilhas do Lula contra o desastre do FHC. Realmente, o país melhorou muito com o Lula, e o FHC fez muita merda.

Mas não é por isso que se deve ficar escondendo passado, ou destruindo projeto do presente. O problema é que se governa o país para inglês ver. Vamos, direita e esquerda, começar a governar pra nós.

Vocês políticos querem, por favor, perguntar a nós se queremos privatizar ou não, ou se nós não queremos uma parte da Vale ou da CSN. Plebiscito existe pra isso.

Daniela • Brasileira Insone disse...

Eu não devia, mas acho que vou ter que responder umas coisinhas para o anônimo das 12:01 h.

Seu blog é bastante sensato, vale a pena expressar minha opinião aqui.

Ó, você não precisa me elogiar, não. Posso estar enganada, mas desconfio que isso é estratégia para tentar me vender suas idéias. Se for isso, pode esquecer, porque comigo não funciona.

Quem quer ganhar nessas eleições sou eu, de classe média com família para sustentar. Me importa se as ações dos políticos são benéficas, satisfatórias e duradouras.

Então a primeira coisa que você tem que fazer é dar um voto que seja diametralmente oposto ao petismo, já que todo petista odeia a classe média (eles chamam a classe média de "elite burguesa" e descem o chicote nela toda vez que abrem a boca).

Há uma estatística das maravilhas do Lula contra o desastre do FHC. Realmente, o país melhorou muito com o Lula, e o FHC fez muita merda.

DISCORDO! DISCORDO RADICALMENTE!
Meu filho, não vou escrever aqui tudo de novo o que já cansei de explicar. FHC fez tudo certo, um verdadeiro estadista que sacrificou sua imagem para fazer o que era necessário ao país, mesmo que os remédios fossem amargos. Lula só não estragou o que estava certo e até semana passada surfava na onda da pujança (ou, agora já sabemos, "bolha") da economia mundial. Vê se você entende: durante os oito anos do governo FHC o Brasil cresceu em termos absolutos menos do que até agora no governo Lula (graças à herança bendita de FHC, claro), mas durante os oito anos do governo FHC O BRASIL CRESCEU MAIS QUE A MÉDIA MUNDIAL, e foi o país que mais cresceu na América Latina. Já nos 6 anos do governo Lula O BRASIL CRESCEU MENOS QUE A MÉDIA MUNDIAL, e só perdeu na América Latina para o Haiti. Dá para entender ou precisa de gráfico, mímica e poesia?

Mas não é por isso que se deve ficar escondendo passado, ou destruindo projeto do presente.

Quem falou em esconder o passado?
E se no presente houvesse algum projeto que não fosse só construção de marketing para enganar mané, eu trataria de protegê-lo, e não de destruí-lo.

O problema é que se governa o país para inglês ver. Vamos, direita e esquerda, começar a governar pra nós.

Então explica isso pro Lula, meu amigo, para ver se ele pára de rachar o país entre ricos e pobres e criar uma onda de preconceito contra quem estuda e trabalha.

Vocês políticos querem, por favor, perguntar a nós se queremos privatizar ou não, ou se nós não queremos uma parte da Vale ou da CSN. Plebiscito existe pra isso.

"Vocês políticos"?!
Ai ai ai… depois quer que eu caia naquela esperrela lá do começo. Falsidade tem limites, sabia?
É uma bobagem dispendiosa, mas se você quiser, vamos encarar: perguntemos ao povo brasileiro se ele quer que a Telebrás seja reestatizada. Mas tem que falar a verdade e avisar pras pessoas que será necessário devolver todos os celulares e que a internet vai ser acessível só para quem puder pagar bem uns 200 reais por mês, ok?

Ezer Getulio disse...

Daniela,
Parabéns pelo Blog.
Vc é uma verdadeira cidadã brasileira que se preocupa com o coletivo e o bem estar comum, sem fazer parte de nenhum partido político.
Sua atuação é exemplar e faz um grande bem a nossa sociedade.

W.Neto disse...

Muito legal esta sua ultima postagem sobre eleiçoes. Eu sinto algo semelhante incluindo a desconfiança destas urnas eletronicas. Com relaçao as pesquisas elas influenciam sim. Minha secretaria disse que iria votar no candidato que estava liderando a pesquisa pois, disseram a ela que caso ela votasse em outro, iria "perder"(??) o seu voto. Isto e´em parte IGNORANCIA e tambem ESTELIONATO eleitoreiro. Depois de uma dessas, voce tem que falar muito para convencer a pobre eleitora, que ninguem perde voto. Abraços!!

W.Neto disse...

Informo ao anonimo (10/10 as 11:44) que o PSDB, assim como era o PDT, sao partidos que se inspiram em programas e estatuos tal qual o Partido Trabalhista Ingles e os Partidos Sociais Democratas dos paises Nordicos(Suecia,Noruega,Finlandia, etc...), que eu me lembre, nestes paises ninguem quer chegar ao socialismo com ou sem revoluçao! Voce esta´confundindo Social-Democracia com o metodo de Gramsci, que postula a chegada ao poder sem violencia(LULINHA "PAZ E AMOR")para entao implantar este regime nefasto. Ai´sim, para a manutençao do regime, se necessario a violencia sera´utilizada(vide MST). Abraços!!

Anônimo disse...

Hoje ao ler o texto Má pessoa e mau presságio, do Olavo de Carvalho, lembrei-me deste seu post. Em ambos, excelentes observações.

Anônimo disse...

Pô tudo bem que você sabe ser direitista e admiradora (quase digo adoradora, desculpa) do Reinaldo Azevedo. Mas, desculpa a sinceridade, você deve ser um porre de mulher.

tomare que seja só impressão minha.