terça-feira, 28 de outubro de 2008

Presidente do TSE defende liberação de uso da internet em campanhas eleitorais

http://oglobo.globo.com/pais/eleicoes2008/mat/2008/10/27/presidente_do_tse_defende_liberacao_de_uso_da_internet_em_campanhas_eleitorais-586144987.asp

A transferência de conteúdo, vulgo copy-paste, é desautorizada, mas esse assunto é importante e nos diz respeito, portanto vale a leitura.

Comentei o que segue:

É preciso URGENTEMENTE que o direito do cidadão de tornar pública sua opção política, ideológica ou partidária, através de manifestações PESSOAIS NA INTERNET, seja formalmente garantido.Na última eleição esse direito foi ceifado do site de relacionamentos Orkut, que, OBRIGADO POR INSTÂNCIAS DO PODER PÚBLICO, excluiu comunidades de apoio a candidaturas e perfis que tivessem banner de um candidato no avatar ou fotos com ele em seu álbum.Isso é uma afronta ao artigo 5º da Constituição.

Comentem também.

sábado, 18 de outubro de 2008

LANÇAMENTO DE "O PAÍS DOS PETRALHAS" EM CURITIBA

Agendem-se: finalmente Reinaldo Azevedo vem a Curitiba!


Dia 26 de novembro de 2008
Provavelmente às 19:30 horas (horário ainda a ser confirmado)
Livraria Curitiba do Shopping Estação.

Como diz o Danilo Gentili do CQC, o Reinaldo é o cara mais anti-PT do UNIVERSO. Podem acreditar, ter um livro autografado por ele vai ser coisa para mostrar para os netos e deixar de herança. No evento em São Paulo, estiveram presentes Serra, Kassab, Kátia Abreu, Bornhausen, Goldman, entre outros políticos e jornalistas. O cara é o topo da pirâmide do jornalismo brasileiro, lido por senadores, deputados, ministros do STF, pelo FHC, pelo Ali Kamel…, enfim, por uma turma da pesada. Reinaldo Azevedo tem hoje o mais afiado, polêmico e influente blog de política do Brasil. Concorde-se ou não com ele, sempre é possível aprender com seus textos.

Avisar todos os seus amigos é uma obrigação. Ou eles não te perdoarão por tê-los excluído desta oportunidade.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Há dias em que o Brasil me tira MAIS o sono

Nota da CUT sobre os fatos ocorridos hoje:

Dois acontecimentos tingiram de sangue protestos pacíficos de movimentos sociais na tarde desta quinta-feira em frente aos palácios de governo dos estados de São Paulo (Bandeirantes) e Rio Grande do Sul (Piratini). Ao transformarem a Polícia Militar em guarda pretoriana de seus desgovernos, os tucanos José Serra e Ieda Crusius quase provocaram a morte de pais e mães de família que protestavam contra a intransigência e defendiam o atendimento às ruas reivindicações.
Diante do ocorrido nas capitais paulista e gaúcha, a CUT repudia o “autoritarismo, a falta de diálogo, o desrespeito, a truculência fascista e a irresponsabilidade criminosa desses dois governos tucanos” que, promoveram uma verdadeira guerra contra os manifestantes, com bombas, brucutus, cavalaria, tiros e gás pimenta, deixando vários feridos, inclusive à bala.
De acordo com o secretário geral da CUT São Paulo, Adi dos Santos Lima, “o comportamento irresponsável do governador José Serra e do secretário estadual de Segurança Pública por pouco não provocaram mortes”. O movimento une investigadores, delegados, escrivães e peritos da Polícia Civil, que estão em luta por melhores condições de trabalho e salário desde meados do mês passado. “Por um lado, provocaram a categoria dos Policiais Civis em greve ao abandonar a segurança pública, não dar as mínimas condições de trabalho, manter equipamentos defasados, salários arrochados e, pior, não atender solicitações, se negar a negociar e ainda criticar o comportamento de quem tem preocupação com a segurança dos cidadãos”, denunciou Adi.
Conforme relatou o dirigente cutista, os manifestantes se aproximavam do Palácio dos Bandeirantes quando foram surpreendidos pela formação de “cerca de dois mil policiais militares e uma tropa de choque armada até os dentes, que iniciaram uma verdadeira guerra”. Diante da brutalidade da agressão tucana, o GOE (Grupo de Operações Especiais) da Polícia Civil, que apenas fazia a segurança dos manifestantes, se somou ao protesto. “Serra não quer diálogo, somente imposição. Eu vi uma guerra civil, o conflito quase gerou mortes na porta do Palácio”, ressaltou Adi.Representantes das seis centrais sindicais acompanharam o protesto e repudiaram a covardia de Serra. Agora, lembrou Adi, “a mobilização vai crescer ainda mais, porque ninguém vai baixar a cabeça para este tipo de comportamento”.
Marcha dos Sem
Em Porto Alegre (RS), a tradicional Marcha dos Sem, manifestação organizada pela CUT e pela CMS – Coordenação dos Movimentos Sociais, também foi alvo da truculência do governo tucano. Segundo Quintino Severo, secretário geral da CUT Nacional, que participou da mobilização na capital gaúcha, “a governadora mais uma vez demonstrou seu desprepara para conviver com a democracia”.
Segundo Quintino, “Yeda transformou o Estado do Rio Grande do Sul em um palco de escândalos de corrupção e de truculência contra os movimentos sociais”. Militantes se concentraram a partir das 14h30 no Parque da Redenção e seguiram em passeata em direção ao Centro Administrativo do Estado – Palácio Piratini, no centro da capital gaúcha.
A 13ª Marcha reuniu cerca de 10 mil pessoas e trouxe como tema "a defesa da dignidade humana" – publicamente desrespeitada pelo governo Yeda, que ordenou a Polícia Militar usar e abusar da violência contra os trabalhadores. A repressão tucana teve início por volta das 16h na esquina da Rua Espírito Santo com a Duque de Caxias em frente à Catedral – Praça da Matriz – quando a PM avançou sobre os participantes da passeata que tentavam ultrapassar a barreira formada pelos soldados que trancavam o acesso do carro de som em direção ao Palácio Piratini, sede do governo do Estado.
Os militantes estavam a sessenta metros do Palácio e foram impedidos com o uso da violência policial que lançaram bombas de efeito moral e balas de borracha, ferindo de forma covarde cerca de 17 manifestantes feridos, que foram levados ao Hospital do Pronto Socorro (HPS).
Após muita pressão dos movimentos sociais e uma difícil negociação com a Polícia, os militantes conseguiram avançar e finalmente, por volta das 16h30, parar em frente ao Palácio Piratini para o encerramento do ato.


_____


ESSE é o PT. A mim nunca enganaram. Plévias!

Dona Marina Silva, seu Delcídio Amaral, seu Pimentel não ficam constrangidos de pertencerem a um partido que coloca a população em risco e joga policiais civis contra policiais militares (gente pobre, com família para sustentar, trabalhadora) sem nenhum pudor somente para manipular a opinião pública em prol de sua ambição desmesurada pelo poder? Não têm vergonha de serem correligionários de quem usa a causa gay quando lhe convém e depois transforma a homossexualidade em crime moral para ganhar uma eleição? Não se sentem mal de estarem num partido que destrói o país se precisar, para não compartilhar o poder?

É isso o que entendem de democracia?
Por quanto tempo ainda o país vai ficar refém desta choldra?
E o jornalismo não vai explicar isso para os mais desinstruídos?

Esses pilantras estão conseguindo rachar o país. As pessoas próximas que eu conheço que não estão hipnotizadas pelo lulo-petismo ficaram com um nojo descomunal do PT depois do ocorrido hoje. Não tem mais como conciliar, o Brasil já está divido visceralmente entre lulo-petistas e anti-petistas. E não, realmente não dá para ser compreensivo e tolerante com o que vimos. A oposição que nem tente o discurso da conciliação, porque pode ser até perigoso, sinceramente – e isso não é nenhuma ameaça, não, mas constatação. A turma anti-PT só está contida porque confia que a oposição vai colocar esses biltres para correr a partir de 2010.

Nojo!
Nojo!

domingo, 5 de outubro de 2008

Escolher um candidato

Durante o último mês, algumas pessoas me pediram sugestões para escolher um vereador – bem, é verdade, para as mais íntimas não dei a oportunidade de perguntar, e já tratei de "empurrar" o meu palpite…

Eu teria duas formas de responder para quem me perguntou sobre um bom candidato a vereador. A primeira é indicar em quem vou votar e porquê. No caso, vou votar no Omar Sabbag Filho (45080), por motivos que já expliquei em posts anteriores (aqui http://brasileirainsone.blogspot.com/2008/08/importncia-de-escolher-um-bom-vereador.html ).

Mas a pergunta fica: qual a melhor forma de escolher alguém que preste nesta profusão de gente, a maioria ridícula, querendo aparecer?

O TSE tem feito campanhas, corroboradas por uma porção de jornalistas, que repete o mesmo bordão: "analise as propostas do seu candidato".

Olhem, me perdoem a ousadia, mas eu acho isso uma inutilidade sem tamanho. Escolher políticos na base de "vou avaliar as propostas" é uma coisa completamente vazia. Isso transforma a campanha eleitoral em um desfile de "promessismos" e de idéias estapafúrdias, além de ser um caldo de cultura para o populismo, criando um "leilão do pobre", para ver quem dá mais pelo voto dele. Um lá dá "catraca liberada para todos", outro dá "bolsa-tudo", esse aqui dá "energia elétrica de graça e almoço a R$ 1,00". Quem dá mais? Quem dá mais?

E todo mundo sabe que ninguém vai cumprir coisa nenhuma. Quando muito, um ou outro vai distribuir alguns óculos e cadeiras-de-rodas.

Entendo que o certo a fazer é, antes de mais nada, ter e conhecer – já explico o que isso quer dizer – seu posicionamento ideológico, para depois encontrar a correspondente linha partidária (para estes dois itens o debate na internet é particularmente útil). Depois, dentro de um espectro ideológico-partidário coerente com seus pontos de vista, procurar um partido que não corrompa seus ideais em prol da busca pelo poder, ou seja, buscar um partido que não distorça seu ponto de vista em troca de cargos e orçamentos (o que geralmente acontece com partidos muito pequenos). Depois, no(s) partido(s) escolhido(s), encontrar os candidatos com alguma possibilidade de serem eleitos e que tenham experiência ou um mínimo de bagagem intelectual para ocupar um cargo público. Escolhido um dentre estes, finalmente, avaliar a probidade e a transparência de seu candidato (aí a internet pode ajudar também, não com debate, mas com a exposição de informações).

Eu digo "ter E conhecer" porque há muita gente que não tem posicionamento (nunca pensou no assunto), mas há também muita gente que já tem sim suas convicções sobre o quanto o estado deve interferir na economia e na cultura, mas não sabe que isso é um posicionamento político-ideológico e o que suas opiniões significam. Há alguns sites na internet que podem orientar nesta empeitada de, vamos chamar assim, "auto-conhecimento":

http://www.theadvocates.org/quiz.html
(muito bom, o mais simples e completo, mas em inglês)
http://www.moral-politics.com/xpolitics.aspx?menu=Home&action=Test&choice=Long
(mais detalhado, mas também em inglês)
http://www.ordemlivre.org/node/153
(em português, mas levemente tendencioso)
http://veja.abril.com.br/idade/testes/politicometro/politicometro.html
("Politicômetro" da Veja, bom, completo, em português e adaptado aos conceitos ideológicos contemporâneos e brasileiros)

Por último, arrisco fazer mais ou menos uma listagem ideológica dos partidos, considerando fundamentação, planos teóricos e ações práticas.

Partidos de esquerda:
PSTU - Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado
PCB - Partido Comunista Brasileiro
PSOL - Partido Socialismo e Liberdade (Heloísa Helena, Luciana Genro)
PC do B - Partido Comunista do Brasil (Aldo Rebelo)
PSB - Partido Socialista Brasileiro (Ciro Gomes)

Partidos de centro-esquerda:
PT - Partido dos Trabalhadores (Lula, Tarso Genro, José Dirceu, Dilma Rousseff)
PDT - Partido Democrata Trabalhista (Cristóvam Buarque, Jefferson Péres)
PV - Partido Verde (Gilberto Gil, Fernando Gabeira)
PPS - Partido Popular Socialista (Roberto Freire)
PSDB - Partido Social Democrata Brasileiro (FHC, Serra, Aécio, Alckmin)

Partidos de centro ou indefinidos:
PMDB - Partido da Movimento Democrático Brasileiro (José Sarney, Renan Calheiros, Pedro Simon, Requião, Rigotto)
PTB - Partido Trabalhista Brasileiro (Roberto Jefferson)
O PMDB possui a maior bancada na Câmara e, embora seja originalmente um partido de esquerda, está hoje indefinido, pois possui alas governista, neutra e oposicionista. Na verdade, é um partido que tende a estar aliado a quem está no poder e é de grande influência nacional, pois é muito forte nos estados. O PTB é o partido herdeiro de Getúlio Vargas, mas que foi perdendo seu idealismo. A rigor, o "centro" da política brasileira não é a confluência da direita com a esquerda, como deveria se esperar, mas é apenas composto de partidos que são utilizados para manobras políticas. Um se negocia porque é grande e tem valor no mercado político, e outro se negocia porque é pequeno e não tem espaço.

Partido de centro-direita:
DEM - Democratas, antigo PFL (ACM, Jorge Bornhausen, César Maia, Gilberto Kassab)

Partidos de direita:
PL - Partido Liberal (José Alencar)
PP - Partido Progressista (Maluf)
PRONA - Partido da Reedificação da Ordem Nacional (Enéas)

Ou, citando somente os partidos mais relevantes, da esquerda para a direita:
PT . PSB . PDT . PPS . PSDB . PMDB . DEM
Evidentemente, aceito críticas a esta tentativa de escalonamento, porque o assunto é subjetivo. Ademais, a "direita" no Brasil paraticamente inexiste, já que ela está hoje unida a partidos que são de esquerda ou de centro-esquerda, fazendo coligações monstrinhos que não podem gerar nenhum projeto de governo que tenha um pingo de coerência.

Especialistas: blogs obrigam veículos a se reinventar

Os blogs como novos nichos de informação, as comunidades sociais construídas na Internet e a projeção dos veículos digitais marcam atualmente a pauta nos mundos da comunicação, e, por isso, os jornalistas e os meios tradicionais são obrigados a se reinventar se não quiserem desaparecer. Este foi o eixo dos seminários e painéis realizados no segundo dia da 64ª Assembléia Geral que a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) realiza em Madri.
A mudança de interesse do público, propiciada em boa parte pelas novas tecnologias, ficou evidente no espaço dos blogs, no qual qualquer pessoa com um conhecimento mínimo de informática pode criar seu próprio portal de Internet.
Em Cuba, por exemplo, a difusão dos blogs fez com que a informação deixasse de ser um monopólio do Estado e que pessoas como Yoanis Sánchez, criadora do "generación Y", possam oferecer sua visão particular da vida diária na ilha aos entre oito e dez milhões de internautas que o visitam por mês.
Stefanie Himoff, vice-presidente do Pluck Social Media, uma empresa que fornece os instrumentos de software necessários para criar comunidades e redes sociais, ressaltou que "a blogosfera é uma terceira dimensão" a qual a imprensa tradicional deve aproveitar, pois nela está sua futura sobrevivência.
Já Francis Pisani, um dos blogueiros mais famosos no âmbito internacional, disse que "o extraordinário do blog é a comunicação com as pessoas", e insistiu em que "as novas gerações não pensam em recorrer aos meios de comunicação com os quais não possam interagir de uma forma ou de outra".
Segundo ele, os "blogs já são coisa do passado", pois estão sendo deslocados pelo micro-blogging, que permite enviar mensagens com até 140 caracteres de graça através do telefone pelo programa Twitter.
Todos estes novos elementos têm a ver com a maneira com a qual canais tradicionais de informação, como os jornais impressos e as agências de notícia, enfrentam seu presente e futuro.
Isso foi abordado em um painel no qual "integracionistas e separatistas" debateram se o jornal digital deve ser o novo centro do universo na redação de periódicos e agências, e se é necessário inclusive uma adaptação física das redações.
Entre os integracionistas, o presidente da agência austríaca APA, Wolfgang Vyslozil, defendeu a necessidade de reunir ou aproximar fisicamente as pessoas que trabalham nas diferentes seções (texto, fotografia, vídeo e multimídia) para originar o produto diversificado pedido pelos clientes de maneira crescente.
Já o executivo-chefe do norueguês Verdens Gang, Torry Pedersen, ficou ao lado dos "separatistas" e defendeu uma diferenciação das redações nas quais os jornais e a edição online são feitos.


http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI3232622-EI4795,00-Especialistas+blogs+obrigam+veiculos+a+se+reinventar.html