terça-feira, 30 de setembro de 2008

Da CBN Curitiba

Dificuldades para discutir eleições na internet
Álvaro Borba - 30/09/2008

Temendo que os políticos brasileiros criassem versões online para os antigos vícios da democracia brasileira, o Tribunal Superior Eleitoral emitiu uma resolução restringindo a propaganda política na internet aos sites dos candidatos. A designer Daniela Bueno não é filiada a nenhum partido, mas gosta de discutir política na internet. No Orkut criou um perfil só para isso e incentivou debates em várias comunidades. A resolução do TSE enterrou todo o esforço dela para fomentar interesse político nos usuários do site. Daniela ficou com a impressão de que a resolução é eficiente na tarefa de limitar manifestações pessoais.

Daniela conta que mesmo as referências políticas mais inofensivas tem sido retiradas do Orkut. Quem mantém um álbum de fotografias no site e posou ao lado de algum candidato, por exemplo, corre o risco de ter as fotos deletadas.

Para defender a tese de que a Justiça Eleitoral está limitando as manifestações pessoais na internet, Daniela recorre a uma comparação simples: quem quiser circular pelas ruas com um boton de determinado partido ou candidato poderá fazê-lo sem maiores problemas. Mas se essa mesma pessoa resolver usar sua identidade virtual no Orkut para manifestar esse apoio, corre o risco de perder o espaço no site.

A segunda comparação de Daniela apela para o conceito de propriedade. As pessoas tem endereços no mundo real e no mundo online. No endereço real, é lícito hastear a bandeira do partido, colar adesivos nas janelas, pintar a fachada com as cores da legenda. No endereço virtual, qualquer manifestação política, por mais autêntica e independente que seja, é condenada.

E para empobrecer ainda mais o debate político na internet, há evidências de que os candidatos não estejam usando os espaços virtuais como deveriam. Victor Costa passou os últimos quatro anos em Belo Horizonte. Sem saber em quem votar, foi a internet para tentar descobrir. Ao digitar o endereço dos sites dos candidatos, ele esperava encontrar duas coisas: um plano de governo e uma proposta consistente para o crescente caos no trânsito.

Só o que Vitor encontrou nos sites oficiais foram idéias vagas.

A experiência o fez criar um blog onde expõe cada resposta automática e cada proposta mal explicada que recebeu.

Blogs dos entrevistados:

Daniela Bueno:
www.brasileirainsone.blogspot.com
Victor Costa:
www.cademeucandidato.wordpress.com

http://www.cbncuritiba.com.br/index.php?pag=noticia&id_noticia=18757&id_menu=178&PHPSESSID=02082ed52793daa19f4c67aebdb72e26


Áudio da entrevista:

http://www.cbncuritiba.com.br/arquivo/download/3976-DocumentarioTransito-alvaro30.09.wma

Um comentário:

Anônimo disse...

" Legislar é fácil, corrigir um país que desvia dinheiro, conduta, foco e bom senso parece cada vez mais impossível."