quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Ainda o assunto da censura na internet

Thiago L. C, amigo aguerrido, escreveu o texto o que segue:

Se puderem me responder...

Várias incoerências cercam as decisões do TSE sobre a campanha esse ano. Sobre tais incoerências faço os seguintes questionamentos:

1° Desde 2006 o TSE proibiu distribuição de brindes, outdoors, showmícios etc para além de outras coisas deixar campanhas "menos favorecidas" financeiramente disputarem em maior pé de igualdade com as "milionárias". Por que então proíbem a utilização de ferramentas gratuitas e de acesso livre a todos?

2° A Justiça Eleitoral veicula nessas eleições propagandas na TV e no rádio onde diz que "4 anos é muito tempo para perder, procure saber em quem está votando... pesquise sobre a vida de seus candidatos". OK, vamos pesquisar onde? Na propaganda eleitoral de cada um? Cada candidato vai nos listar seus podres? Fóruns, blogs, sites e vídeos são formas saudáveis e democráticas de debate e sua proibição impede que possamos ter acesso a informações.

3° Cada vez mais a internet tem desempenhado papel decisivo nas disputas eleitorais das maiores democracias do mundo. Além de baratear a campanha, não suja as cidades, não causa poluição sonora e atinge somente quem está interessado. O Brasil (como sempre) vai em sentido contrário à essa tendência e restringe ao máximo a mobilização das campanhas na internet. Qual será o próximo passo? Bloquear o acesso a alguns sites de notícias? Estamos no Brasil ou na China?

4° Todos sabemos que no Brasil é a minoria que se interessa por política. Conseguir reunir em uma comunidade 90 mil pessoas (220 mil em 2006) que se interessam em debater sobre o futuro do país é motivo de orgulho. Qual é o objetivo deles? Calar as mentes pensantes? O destino de quem não gosta de política é ser governado por quem gosta!

5° Desde 2004 o número de jovens eleitores (17 e 18 anos) vem caindo consistentemente, confirmando o enorme desencanto dos jovens com a política.Entre 2004 e 2008, o eleitorado brasileiro total cresceu 7,43%, de 121 milhões para 130,6 milhões. Em movimento contrário, o eleitorado de 16 e 17 anos teve uma queda, entre 2004 e 2008, de 19%: caiu de 3,6 milhões para 2,9 milhões de eleitores jovens.* Hoje em dia qual é a principal fonte de informação dos jovens? Onde ele passa boa parte do seu dia? Inernet!!! Você costuma ver algum jovem debatendo política na balada? Em alguma lanchonete? Existem, mas podemos contar nos dedos. Por outro lado era grande o número de jovens debatendo de forma inteligente e brilhante nas comunidades que foram caladas no orkut. Qual é o medo de ter jovens envolvidos com política?

*Informações Blog Lucia Hippolito

Esses são alguns pontos incoerentes que vejo nas decisões do TSE. O que vocês pensam sobre isso?

Nenhum comentário: