segunda-feira, 28 de julho de 2008

Juntando lé com lé

Da Veja de 23/07/2008:
http://veja.abril.com.br/230708/entrevista.shtml

Como promotor-chefe do Tribunal Penal Internacional (TPI), o argentino Luis Moreno-Ocampo, 56 anos, está a cargo de uma missão única: a de investigar e processar responsáveis por crimes contra a humanidade e genocídio, independentemente do país em que tenham sido cometidos. (…) Ocampo também estuda a abertura de processos contra estrangeiros que ajudam as Farc. Criado em 1998, com a adesão de 107 países, o TPI é o primeiro sistema mundial de justiça permanente.

(…)
Veja – Por que o Tribunal Penal Internacional está interessado nos crimes praticados pelos narcotraficantes na Colômbia?
Ocampo – As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, as Farc, e os grupos paramilitares efetuam ataques massivos e indiscriminados contra a população civil. Esse tipo de delito pode ser considerado crime contra a humanidade. Dessa forma, está sob a jurisdição do Tribunal Penal Internacional. Ainda estamos na fase dos exames preliminares que antecedem, obrigatoriamente, qualquer investigação. Como promotor-chefe, analiso as informações fornecidas pelo governo colombiano e faço visitas ao país. Estive na Colômbia em novembro e tive a oportunidade de conhecer vítimas, juízes e o presidente Álvaro Uribe. Estou monitorando os processos judiciais colombianos contra os grupos paramilitares e as Farc.

Veja – Documentos encontrados nos computadores de um dos chefes das Farc capturados pelo exército colombiano indicam que o grupo recebe a ajuda de países vizinhos, em especial da Venezuela e do Equador. Essas conexões também podem ser investigadas pelo tribunal?
Ocampo – Aqueles que dão apoio financeiro às Farc compartilham da intenção de cometer os delitos praticados pelo grupo. Por isso, podem ser considerados participantes em crimes contra a humanidade. O apoio político a um grupo como as Farc igualmente pode ser considerado um delito e, dependendo das circunstâncias, passível de ser investigado pelo país ou pelo TPI. Estamos avaliando agora o caso de grupos ou pessoas de fora da Colômbia, tanto da América do Sul quanto da Europa, que aparentemente apóiam as Farc. Queremos saber se é o caso de iniciar um processo. Por enquanto, só o que eu posso dizer é que estamos coletando informações sobre esse tema.
(…)


Agora, da Folha On Line, em 24/08/2003:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u62119.shtml

Leia a seguir entrevista concedida à Folha de S.Paulo na última terça-feira pelo comandante das Farc Raúl Reyes em algum ponto da Amazônia colombiana.

(…)
Folha de S.Paulo - Qual é a sua avaliação do governo Lula?
Reyes - Tenho muita esperança em que o governo Lula se transforme num governo que tire o povo brasileiro da crise. Lula é um homem que vem do povo, nos alegramos muito quando ele ganhou. As Farc enviaram uma carta de felicitações. Até agora não recebemos resposta.

Folha de S.Paulo - Vocês têm buscado contato com o governo Lula?
Reyes - Estamos tentando estabelecer --ou restabelecer-- as mesmas relações que tínhamos antes, quando ele era apenas o candidato do PT à Presidência.

Folha de S.Paulo - O sr. conheceu Lula?
Reyes - Sim, não me recordo exatamente em que ano, foi em San Salvador, em um dos Foros de São Paulo.

Folha de S.Paulo - Houve uma conversa?
Reyes - Sim, ficamos encarregados de presidir o encontro. Desde então, nos encontramos em locais diferentes e mantivemos contato até recentemente. Quando ele se tornou presidente, não pudemos mais falar com ele.
(…)
Folha de S.Paulo - Fora do governo, quais são os contatos das Farc no Brasil?
Reyes - As Farc têm contatos não apenas no Brasil com distintas forças políticas e governos, partidos e movimentos sociais. Na época do presidente [Fernando Henrique] Cardoso, tínhamos uma delegação no Brasil.

Folha de S.Paulo - O sr. pode nomear as mais importantes?
Reyes - Bem, o PT, e, claro, dentro do PT há uma quantidade de forças; os sem-terra, os sem-teto, os estudantes, sindicalistas, intelectuais, sacerdotes, historiadores, jornalistas...

Folha de S.Paulo - Quais intelectuais?
Reyes - [O sociólogo] Emir Sader, frei Betto [assessor especial de Lula] e muitos outros.

Nenhum comentário: