terça-feira, 29 de julho de 2008

Nova Veja

A Veja com a nova diagramação chegou na minha casa ontem. Fui correndo conferir a nova carinha.

A primeira impessão é a estranheza: desde que me conheço por gente, as páginas amarelas eram "daquele jeitinho". De repente, apesar do mesmo amarelo (um pouquinho mais claro, para falar a verdade), está tudo em lugar diferente. É estranho mesmo. Mas a gente se acostuma com o tempo.

O que me motivou, entretanto, a escrever este post são outras observações que me deixaram muito satisfeita. A primeira coisa é o índice, que agora divide espaço meio a meio com a edição da revista na internet. Veja (de papel) e Veja.com foram colocadas no mesmo nível. Isso significa que os conteúdos on-line (além da revista on-line) deixaram de ser apresentados como apêndices da versão impressa, e passaram a ser considerados tanto quanto, no mesmo nível da própria Veja de papel.

Aí veio a surpresa na página 51: uma página para a blogosfera! Que maravilha! Finalmente veículos estabelecidos estão oficialmente absorvendo este canal de comunicação, que nasceu como um utilitário de adolescentes. Quer dizer, além do índice compartilhado entre real e virtual, uma outra página, em separado, oferecendo nada mais nada menos que seis links de blogs que estão (e já estavam antes) hospedados no site da revista.

Mas o mais gostoso veio na página 145. É uma propaganda. A priori, nada a ver com a Veja, se não fosse o fato de que a propaganda é de um evento realizado pela Revista Info e pela própria Editora Abril. A propaganda é sobre o Seminário "Redes Sociais – A nova mídia e o consumidor", que ocorrerá no dia 18 de agosto em São Paulo. Subtítulo da propaganda: "Veja como usar o Orkut, Youtube e cia. a favor dos seus negócios". Uau! Até o Reinaldo Azevedo estará participando.

O paralelo é o seguinte: uma nação pode se declarar independente, mas isso não faz a menor diferença se o resto do mundo não reconhecer esta independência. A internet, as redes sociais, os blogs, os comunicadores instantâneos, tudo isso MUDOU a forma das pessoas se relacionarem e das informações circularem – e serem absorvidas. Faltava o mundo real reconhecer isso. Veja dá um passo nesta direção com o que vi na última edição. Coincidentemente, o Fantástico, que quando falava em Orkut era sempre em sentido criminalizante e depreciativo, neste domingo utilizou-se dele para dar exemplos de como as mães vêem e relacionam-se com suas filhas.

Para quem há muito vem martelando na questão da relação da internet, especialmente de instrumentos pouco considerados, como o Orkut e os blogs, com os meios de comunicação, esta Veja foi um manjar dos deuses. Só para citar, um pedacinho de um texto meu de 2006:

A internet e sua interatividade alterou completamente a relação dos meios de comunicação com os cidadãos.A internet é mais veloz, mais plural e mais dinâmica. É um poder construído coletivamente, e não um poder que é monopolizado porque emana de um centro.
Não adianta ter um portal. Isso não é ESTAR na internet. Estar na internet é INTERAGIR com o mundo que circula nela. É RESPEITAR a existência da pluralidade, da diversidade, de outros pontos de vista. É RECONHECER que fatos menos interessantes, num primeiro momento, podem se tornar temas centrais de debate na sociedade se estiverem circulando na internet.

Ah, por último – e para voltar ao assunto do post: adorei a nova letra da Veja. Ela é um pouco condensada para compensar o fato de ser maior, fazendo com que o mesmo tanto de texto continue cabendo no mesmo espaço de antes. Mas este tantinho a mais no tamanho que colocaram no corpo da letra deu um plus enorme para quem lê a revista fazendo esteira na academia, como eu.

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Juntando lé com lé

Da Veja de 23/07/2008:
http://veja.abril.com.br/230708/entrevista.shtml

Como promotor-chefe do Tribunal Penal Internacional (TPI), o argentino Luis Moreno-Ocampo, 56 anos, está a cargo de uma missão única: a de investigar e processar responsáveis por crimes contra a humanidade e genocídio, independentemente do país em que tenham sido cometidos. (…) Ocampo também estuda a abertura de processos contra estrangeiros que ajudam as Farc. Criado em 1998, com a adesão de 107 países, o TPI é o primeiro sistema mundial de justiça permanente.

(…)
Veja – Por que o Tribunal Penal Internacional está interessado nos crimes praticados pelos narcotraficantes na Colômbia?
Ocampo – As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, as Farc, e os grupos paramilitares efetuam ataques massivos e indiscriminados contra a população civil. Esse tipo de delito pode ser considerado crime contra a humanidade. Dessa forma, está sob a jurisdição do Tribunal Penal Internacional. Ainda estamos na fase dos exames preliminares que antecedem, obrigatoriamente, qualquer investigação. Como promotor-chefe, analiso as informações fornecidas pelo governo colombiano e faço visitas ao país. Estive na Colômbia em novembro e tive a oportunidade de conhecer vítimas, juízes e o presidente Álvaro Uribe. Estou monitorando os processos judiciais colombianos contra os grupos paramilitares e as Farc.

Veja – Documentos encontrados nos computadores de um dos chefes das Farc capturados pelo exército colombiano indicam que o grupo recebe a ajuda de países vizinhos, em especial da Venezuela e do Equador. Essas conexões também podem ser investigadas pelo tribunal?
Ocampo – Aqueles que dão apoio financeiro às Farc compartilham da intenção de cometer os delitos praticados pelo grupo. Por isso, podem ser considerados participantes em crimes contra a humanidade. O apoio político a um grupo como as Farc igualmente pode ser considerado um delito e, dependendo das circunstâncias, passível de ser investigado pelo país ou pelo TPI. Estamos avaliando agora o caso de grupos ou pessoas de fora da Colômbia, tanto da América do Sul quanto da Europa, que aparentemente apóiam as Farc. Queremos saber se é o caso de iniciar um processo. Por enquanto, só o que eu posso dizer é que estamos coletando informações sobre esse tema.
(…)


Agora, da Folha On Line, em 24/08/2003:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u62119.shtml

Leia a seguir entrevista concedida à Folha de S.Paulo na última terça-feira pelo comandante das Farc Raúl Reyes em algum ponto da Amazônia colombiana.

(…)
Folha de S.Paulo - Qual é a sua avaliação do governo Lula?
Reyes - Tenho muita esperança em que o governo Lula se transforme num governo que tire o povo brasileiro da crise. Lula é um homem que vem do povo, nos alegramos muito quando ele ganhou. As Farc enviaram uma carta de felicitações. Até agora não recebemos resposta.

Folha de S.Paulo - Vocês têm buscado contato com o governo Lula?
Reyes - Estamos tentando estabelecer --ou restabelecer-- as mesmas relações que tínhamos antes, quando ele era apenas o candidato do PT à Presidência.

Folha de S.Paulo - O sr. conheceu Lula?
Reyes - Sim, não me recordo exatamente em que ano, foi em San Salvador, em um dos Foros de São Paulo.

Folha de S.Paulo - Houve uma conversa?
Reyes - Sim, ficamos encarregados de presidir o encontro. Desde então, nos encontramos em locais diferentes e mantivemos contato até recentemente. Quando ele se tornou presidente, não pudemos mais falar com ele.
(…)
Folha de S.Paulo - Fora do governo, quais são os contatos das Farc no Brasil?
Reyes - As Farc têm contatos não apenas no Brasil com distintas forças políticas e governos, partidos e movimentos sociais. Na época do presidente [Fernando Henrique] Cardoso, tínhamos uma delegação no Brasil.

Folha de S.Paulo - O sr. pode nomear as mais importantes?
Reyes - Bem, o PT, e, claro, dentro do PT há uma quantidade de forças; os sem-terra, os sem-teto, os estudantes, sindicalistas, intelectuais, sacerdotes, historiadores, jornalistas...

Folha de S.Paulo - Quais intelectuais?
Reyes - [O sociólogo] Emir Sader, frei Betto [assessor especial de Lula] e muitos outros.

domingo, 27 de julho de 2008

Consta que esta é do Nelson Rodrigues

"Antigamente, todos eram idiotas e o sabiam. O mundo tinha milhões de idiotas, todos humildes. Muito sabiamente, eles se consideravam idiotas. Mas hoje em dia, quase todas as pessoas se consideram competentes. E não só isso, elas querem o poder! Tanto o querem que eles até fecham as portas na cara dos verdadeiros competentes. Os idiotas querem ser professores, ministros, presidente. O nosso mundo é dominado pelos idiotas."

sábado, 26 de julho de 2008

O Obama que eu vejo


Uma imagem vale mais que mil palavras.
Mas se você precisar de algumas:
http://cbn.globoradio.globo.com/cbn/wma/player_gradio.asp?audio=2008%2Fcolunas%2Fmerval%5F080725%2Ewma&OAS%5Fsitepage=sgr%2Fsgr%2Fradioclick%2Fradiosam%2Fcbn%2Fmervalpereira1

domingo, 13 de julho de 2008

Depois não é para perder o sono!

Aí, ó!

O Brasil está andando na beira do precipício. E fica cada dia mais na beira enquanto essa classe média não acordar para o perigo que está correndo.



Esta foto foi tirada no dia 11 de julho, no Bairro da Tijuca, Rio de Janeiro, por um rapaz chamado Hugo.

Há mais de um ano, também foram vistos (embora não fotografados) adesivos com os dizeres "LULA 3" em um carro de Belo Horizonte e na janela de uma casa em Goiânia.

Vamos brincando, vamos… O fim desta história não é nada feliz.