segunda-feira, 14 de maio de 2007

Decálogo Leninista

Há algum tempo eu estava procurando este antigo texto. Hoje o recebi por e-mail e arquivo-o neste blog para futuras consultas. Tudo indica que será necessário.

1) Destrua a imagem e a confiança do povo nas Forças Armadas e seu poder de intervenção e fortaleça as milícias estaduais e federais para garantir a proteção dos interesses do Partido, fazendo os acordos necessários com o crime organizado e o narcotráfico, e eliminando de forma seletiva os inimigos do “Príncipe”.

2) Nunca reconheça sua culpa por prevaricação ou corrupção em qualquer instância investigativa do poder público. Se a reconhecer não traia seus companheiros. Assuma, sozinho, as conseqüências dos seus atos em nome da unidade do Partido até que seja salvo das mãos da justiça corrompida.

3) Seja cínico, leviano, hipócrita, mentiroso, falso nos seus discursos, e não vacile em enganar o povo ignorante para derrotar seus adversários políticos, falando sempre em falsas realizações, Democracia e Estado de Direito, mas assumindo o poder absoluto assim que tiver oportunidade.

4) Esbanje o dinheiro público para aumentar o controle sobre a máquina burocrática do Estado e trate a ética e a moralidade pública de forma sempre relativa, conforme os interesses de preservação do poder político, não tendo pudor em ser o mais pérfido canalha se for necessário na luta pela captura do Estado.

5) Destrua a confiança do povo no Legislativo e no Judiciário corruptos impondo o corporativismo de forma indiscriminada para controlar os poderes constituídos, ocupando postos chaves da burocracia do estado através dos militantes do Partido e dos seus aliados, e assumindo o controle ideológico dos Tribunais Superiores com a infiltração de juízes cúmplices do Partido.

6) Controle os centros de poder dos principais veículos de comunicação de massa da forma que se fizer necessária usando o dinheiro público para financiar seus parceiros da mídia e comprar sua lealdade.

7) Divida a população em grupos antagônicos e preserve o povo na ignorância não investindo na qualidade da educação pública não universitária, e compre o apoio das elites mantendo as melhores oportunidades de educação para seus filhos nas universidades públicas, mas infiltrando de forma compulsória os militantes do Partido nas universidades para controlar o pensamento e o comportamento da intelectualidade da sociedade, e para formar os futuros ocupantes dos postos na burocracia do Estado e leais ao pensamento do Partido.

8) Faça da intelectualidade e da academia a continuidade dos interesses do Partido dando-lhe todas as sinecuras necessárias para mantê-los como parceiros do movimento comunista.

9) Faça o povo ser cada vez mais dependente do Estado através de projetos assistencialistas para manter sempre o controle dos votos dos excluídos, dos corruptos e dos corrompidos até acabar com a Democracia, e procure catalogar todos aqueles que possuam armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência à causa comunista.

10) Compre o apoio dos donos do capital com o dinheiro do povo e somente puna com a ação das milícias do Estado os sonegadores que não pagarem as contribuições ou ficarem contra o “Príncipe”, promovendo atos cinematográficos de prisão para chamar a atenção da sociedade.


http://www.youtube.com/watch?v=Wqlg3Z3ilWs

Alguém ainda duvida?!

sexta-feira, 11 de maio de 2007

Privatizando as universidades

Eis a idéia básica de um projeto que eu desenvolveria se eu estivesse no lugar de algum político do DEM com visibilidade nacional:

1) Privatiza-se todo o setor universitário.

2) São criadas agência reguladora e legislação correspondente para que as universidades, agora todas particulares, dediquem-se tanto a pesquisas de campo quanto a pesquisas de base e para que não hajam distorções promovidas pela iniciativa privada no setor, bem como para aferir a qualificação dos alunos formados (provões).

3) Separam-se em duas partes o dinheiro que o estado JÁ INVESTE no ensino superior (o que, se não me engano, significa 75% de todo o investimento em ensino):
3.1) a primeira parte será usada para pagar bolsa universitária - em qualquer faculdade que seja - para alunos considerados pobres (com renda familiar até determinado patamar, conforme orientação da agência reguladora) que tenham passado no vestibular por méritos próprios. Sem cotas.
3.2) cria-se um sistema de financiamento com juros baixos para alunos da classe média (com renda familiar também determinada pela agência reguladora), que deverá ser devolvido em prestações após a conclusão do curso. Quando as parcelas começarem a ser pagas ao estado, este dinheiro deve ser reinvestido.
Obs1: A contra-partida exigida dos alunos que receberem bolsa ou financiamento é a prestação de serviços escolares à comunidade, tais como aulas de reforço em matemátia, português, laboratórios de leitura e de informática, estágios em bibliotecas, prática de esportes nos fins-de-semana, auxílios odontológicos e médicos etc.
Obs2: O número de vagas ofertadas em 3.1 e 3.2 deve ser RIGOROSAMENTE o mesmo número de vagas já ofertadas no momento nas universidades públicas de todo o Brasil.

4) O dinheiro obtido da privatização das universidades será revertido INTEGRALMENTE na melhoria do ensino básico e fundamental. Com estes investimentos, bem como com a participação dos discentes universitários, a qualidade dos alunos da rede pública deve aumentar substancialmente, facilitando o acesso destes alunos a uma vaga universitária.

Resultados diretos:
1) melhoria do ensino básico e fundamental
2) acesso democrático e meritocrático às universidades: alunos de classes mais baixas que se dediquem, têm ensino de terceiro grau gratuito; alunos de classe média que se dediquem, têm ensino financiado; alunos de classe alta que se dediquem, que se virem com o dinheiro da própria família
3) desaparelhamento ideológico das universidades

Outras considerações:
A universidade pública é de melhor qualidade que a privada, como se apregoa?
Não é. O que garante, em partes, o melhor rendimento dos alunos e maior qualificação de profissionais formados em universidades públicas em relação às privadas é o vestibular. Essa tremenda peneira faz com que as vagas das universidades públicas sejam ocupadas quase que exclusivamente por alunos provenientes de escolas particulares, com condições familiares e sócio-culturais BEM melhores. Alunos de nível, bem preparados, produzem mesmo resultados melhores. Em termos de laboratórios, materiais e até em muitos casos de professores, entretanto, as universidades públicas estão em bem piores condições do que as particulares. E custam muito mais caro, justamente porque são públicas.