quinta-feira, 5 de abril de 2007

Minissérie maxidiota

Já tem tempo que a minissérie Amazônia está arruinando a minha paciência.
É claro que eu tenho consciência de que houve injustiças etc. e tal durante toda a história do Brasil, mas essa minissérie é o cúmulo do maniqueísmo raso, do simplismo vazio, da falta de profundidade no entendimento dos fatos. É a vitória do apelo emocional sobre os critérios da razão. Ou não foi isso que passou hoje quando o bem foi representado pela resistência social dos pobres seringalistas sindicalizados contra os malvados e racionais donos das terras, que queriam ter o seu direito à propriedade respeitado? Neste lixo que a Globo está apresentando (e tou adjetivando "lixo" mais pela baixíssima qualidade, tanto da produção quanto do roteiro, do que pela ideologia encardida) os donos das terras são verdadeiros assassinos arbitrários e sanguinários que se tornam piores a cada geração. A realidade dos fatos registrados em cartórios e jornais pode até ter sido essa mesmo, nem vou entrar nesse mérito. Mas as crenças e as angústias dos donos das terras estão, com certeza, muito longe de serem retratadas com qualquer fidelidade. Essa superficialidade na apresentação dos fatos é de um primitivismo quase infantil, de conto de fadas, em que o príncipe luta contra o dragão para salvar a princesa. Simplesmente ridículo. Ah, e note-se ainda que o sindicalismo é inocentado das acusações de financiamento ou ligação com grupos guerrilheiros estrangeiros.
Já tem um bom tempo que a esquerdopatia me incomoda menos no jornalismo do que nos conteúdos das novelas, filmes, especiais e minisséries. Um caso sério, isso tudo. É como espremer a areia seca na mão: você aperta de um lado (no jornalismo), ela sai por outro (na programação não-jornalística).
E nem vou perder tempo fazendo posts para comentar as cenas da novela Paraíso Tropical em que a personagem do ator Bruno Gagliasso, que tem um enorme e estrategicamente visível "13" tatuado no braço, sofre humilhações de várias personagens, entre as quais o irmão ambicioso e capitalista, vilão da historieta, que estufa o peito para dizer "estudei e trabalhei muito para chegar onde cheguei e agora não tenho que ficar ajudando quem não tem capacidade nem para limpar o chão."
Que luta, que luta! Não dá para dormir nem com um olho só. Tem que estar com a antena ligada em tudo o que passa inclusive e principalmente na TV aberta, para aferir o que a população está absorvendo.
Pior é ainda ter que escutar aquela ladainha típica dos petistas, que dizem que "a Globo é vendida aos interesses da elite buguesa dominante"...

Como tem gente sem noção neste mundo, Deus meu!

4 comentários:

Steve Hunter disse...

Off Topic

Algumas coisas em comum:

Não sou PETRALHA

Gosto de Mr Waters

It's all makes perfect sense

Esquadrinhando

Steve Hunter disse...

Ah!

Sou fã do Reinaldão também. Há muito tempo.

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Olá!

Gostei do seu blog, vou aparecer mais por aqui.

Quanto à minissérie, bem, ela é escrita por Gloria Perez, o que explica os diálogos vazios de sentido e de bom senso.

Faz muito tempo que não assisto mais nada feito pela Rede Glogo, me enoja esse estilo piegas tipo "mãe dos pobres" que a emissora faz.

Dias atrás, fiquei indignado com uma chamada de novela, onde a cafetina interpretada por Suzana Vieira foi tratada como "corajosa mulher", mesmo que na trama ela faça apologia da prostituição para a própria filha, segundo o que apurei.

É de doer essa inversão de valores!

DANIEL PEARL disse...

O blog “Desabafo País” quer ocupar o espaço para contribuir: não podemos aceitar a vida com giras que estimule a violência: “vamos arrebentar”; “é na porrada”; “o bicho vai pegar”; “se não tiver ação e sangue, esse filme não serve”, “esse menino é medroso, vai pra cima”... nosso dia a dia é repleto de cenas de violências, em casa, no trabalho, na escola, na faculdade, na rua, enfim, em toda parte dessa Nação, exala o odor de agressividade. Nossas línguas saem o veneno do ódio, do rancor, da raiva, da vingança e conseqüência: 38 mil vidas perdidas a cada ano, fruto da arma de fogo. Antes de tudo isso, a mente humana elaborou todo esse plano macabro, não deixando que o AMOR penetrasse em suas almas. O blog Desabafo País lança o convite: vamos plantar a SEMENTE DA PAZ, começando pela nossa BOCA e nos espaços dos blogs. É preciso fazer algo para frear em nós a cultura da violência. O Brasil precisa voltar a ser o país da PAZ. Vamos lá? Daniel Pearl.: http://desabafopais.blogspot.com/