segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007

Entre o amplo e o profundo

Nestes dias pós-barbárie (e creiam-me: haverão muitos deles ainda) a imprensa se enche de "otoridades" que repetem toda vez o mesmo blá blá blá. A conversinha fiada de sempre é aquela que diz que a discussão precisa ser ampliada.

Mas e quem é que tá pedindo para "ampliar" a discussão? Eu, não.

De tanto a gente "ampliar" a discussão e incluir as opiniões dos artistas e de filósofos de muita teoria e pouca prática, deu no que deu. Minha paciência se esgotou com toda essa... amplitude.

Não quero que se "amplie" mais nada. Quero é que se APROFUNDE a discussão.
Saiam desta superficialidade na análise das questões sociais. Descartem o discursinho raso e fácil da exclusão e da injustiça social.

Que tal, pra começo de conversa, estudarmos o que tem logrado sucesso em países com alta criminalidade e grandes diferenças sociais, como a Colômbia, por exemplo? Ou mesmo estudarmos o caso do Chile e ver, na prática, como o liberalismo ajudou a diminuir a criminalidade? Ou ver como a Tolerância Zero (sim, com truculência policial e tudo, que inclusive nunca foi apontada pela mídia como abusiva, como acontece por aqui) funcionou em Nova Iorque?

Nenhum comentário: